photo lourdesalho-brasil02.gif

"Um exército inteiro de romanos, era incapaz de deter um punhado de galesas.
Elas surgiam convertidas em verdadeiras 'fúrias':
inchando o peito, relinchando como cavalos selvagens e rangendo os dentes,
se atiravam sobre os adversários dando patadas, mordidas e
praticando ações tão fulminantes, que todos diziam que elas se convertiam em verdadeiras catapultas.
Eram umas lobas que, à céu aberto lutavam raivosamente para proteger sua tribo."

DEIXE AQUI SEU DESABAFO, SUA DENÚNCIA OU SEU RECADO! FALA QUE TE ESCUTO!

As (os) que fazem a diferença...

Parabéns pelo excelente Site! "Meninas SuperPoderosas"

VejaBlog - Seleção dos Melhores Blogs/Sites do Brasil

"Você está fazendo parte da melhor e maior seleção de Blogs/Sites do País!!!
- Só Sites e Blogs premiados - Selecionado pela nossa equipe,
você está agora entre os melhores
e mais prestigiados Blogs/Sites do Brasil!
- Parabenizamos pelo ótimo trabalho! -
Confira o seu link no item: ' Blog ' http://www.vejablog.com.br/blog
- Os links encontram-se rigorosamente em ordem alfabética -"

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

CNJ divulga processos contra juízes, O site mostra que existem 730 processos e sindicâncias nas corregedorias dos tribunais de Justiça.





14/11/2011 - 11h41
CNJ divulga processos contra juízes, mas esconde nomes


O CNJ (Conselho Nacional de Justiça) colocou em seu site uma página para divulgar os processos disciplinares contras juízes nas corregedorias locais.

O sistema, no entanto, não revela os nomes dos magistrados e esconde os detalhes do processo.

Juízes do Paraná fazem campanha para recuperar autoestima
Sem CNJ, 54 investigações vão acabar, diz Eliana Calmon
Juízes sob suspeita já são investigados por tribunais

O site mostra que existem 730 processos e sindicâncias nas corregedorias dos tribunais de Justiça.

O TJ do Piauí aparece em primeiro lugar com 211 processos, seguido por São Paulo, com 134. Em terceiro lugar estava o Amazonas, com 59 processos.

A indiciativa para colocar o sistema no ar foi do presidente do conselho, ministro Cezar Peluso.

Recentemente, o CNJ foi tomado pela polêmica que colocou Peluso contra a corregedora Eliana Calmon.

O presidente do conselho defende que as investigações contra magistrados comecem nas corregedorias locais e que o CNJ monitore esse processo.

Já Eliana Calmon diz que mudança na forma como hoje ocorre pode abrir espaço para os chamados "bandidos de toga".

De acordo com Peluso, a nova página dará "mais transparência aos processos disciplinares contra juízes e desembargadores em todos os tribunais".

O sistema, por enquanto, é alimentado pelos próprios tribunais, que enviam os dados ao CNJ uma vez por mês.

Os tribunais da Justiça Federal e do Trabalho ainda não fazem parte do sistema.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Junte-se a nós por um Brasil limpo!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

VOLTE SEMPRE!

Photobucket